Politica

18/04/2020 19:28

Emanuel: “Prefiro enfrentar 4 mil desempregados, do que mortos”

CÍNTIA BORGES

DA REDAÇÃO

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) afirmou que não deve afrouxar as medidas adotadas na Capital para combater a pandemia do novo coronavírus, a Covid-19.

Conforme apurou a reportagem, Emanuel vem sofrendo pressão de grupos empresariais para permitir a abertura de parte do comércio. Atualmente, apenas áreas consideradas essenciais do comércio podem abrir, como supermercados, padarias, postos de gasolina e farmácias.

Ao MidiaNews, o prefeito citou uma estimativa apresentada pelos Ministérios Públicos Estadual, Federal e do Trabalho, que aponta um cenário de 8 mil mortes em Mato Grosso, caso não sejam adotadas medidas estritas de isolamento.

Segundo Emanuel, algumas projeções do Estado apontam que 50% dos casos – entre mortes e contaminados – deverão ocorrer na Capital mato-grossense. 

 

Se houver a confirmação desse cenário, 4 mil mortes poderão ocorrer na Capital. O que seria uma tragédia sem precedentes

“Isso significa que se houver a confirmação desse cenário, 4 mil mortes poderão ocorrer na Capital. O que seria uma tragédia sem precedentes na nossa Capital. É a destruição não só de milhares vidas, mas de milhares de famílias. De sonhos de homens e mulheres”, disse.

 

“Nós não podemos permitir isso. Eu prefiro enfrentar uma dura realidade com 4 mil desempregados, do que 4 mil mortos”, acrescentou.

 

O prefeito afirmou que manterá as medidas de isolamento social, de modo a evitar a proliferação do vírus na Capital.

 

“Nós estamos trabalhando para evitar o número de contaminados e Deus que nos livres de morte em Cuiabá. Todas as nossas medidas são no sentido de proteger a vida dos cuiabanos, achatando a curva e causando o menor impacto possível na proliferação do vírus no nosso meio”, afirmou o prefeito.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo